Conecte-se agora

Avaliações

Testamos o novo Tiguan 2019

Publicado

em

A família está crescendo e está precisando mudar de carro? Está pensando em um carro de 7 lugares mas não quer uma minivan, como o Spin? Tem como investir mais e quem sabe um com motor mais esperto e com toque de esportivo? Então acho que vai gostar do modelo que vou apresentar.

Testamos o novo Volkswagen Tiguan, o modelo chegou ao mercado todo renovado com novo design, nova motorização e novas configurações.

Foto: Divulgação

O modelo chegou ao mercado brasileiro em 2009, mas o mesmo foi apresentado pela primeira vez em 2006 no salão de Los Angeles. Desde que chegou ao nosso mercado não teve mudanças em seu design, em 2011 teve seu primeiro facelift mas nada relevante. Em 2018 a montadora alemã apresentou a nova geração do modelo que estava dentro da programação da Volkswagen que prometeu 22 lançamentos.

O carro

O modelo é o primeiro SUV da marca no Brasil a usar a Estratégia Modular MQB (sigla para Matriz Modular Transversal), a nova arquitetura de veículos do Grupo VW.

A principal vantagem é que os veículos montados com a plataforma MQB são bem mais leves, o que reduz o consumo do carro. Os modelos montados nela são mais seguros, já que sua estrutura é feita com aços mais resistentes.

O modelo vem em três versões de acabamento (250 TSI, Confortline 250 TSI e R-Line 350 TSI), duas opções de motorização (1.4 TSI Total Flex e 2.0 TSI), e com a opção de comportar cinco ou sete passageiros.

Motorização

1.4 TSI Total Flex, que equipa as versões 250 TSI e Confortline 250 TSI, entrega 150cv (tanto com etanol como com gasolina) e 25,5kgfm de torque máximo (ou 250Nm, daí o nome 250 TSI), que aparece entre 1.400 rpm e 3.500 rpm.

O Tiguan 2019 tem uma aceleração de 0-100 km/h em 9,5 segundos e velocidade máxima de 198 km/h. O propulsor flex conta com central eletrônica nova com pistões e anéis redimensionados, novo catalisador, dupla vedação na guia de válvula e novo tratamento para lidar com o etanol. O sistema de injeção desse motor utiliza 250 bar de pressão, o que gera mais robustez.

Impressões ao dirigir

O modelo chama muita atenção, realmente é bem bonito. Tem linhas retas que dão uma elegância ao SUV.

No interior as linhas retas continuam, bem parecido com a do Polo e o novo Jetta.

O modelo é bem confortável ao dirigir, tem boa posição ao volante e tem uma bela central multimídia. Sua suspensão é bem rígida, mas absorve bem as imperfeições das ruas.

Chama atenção o rack de teto e molduras das janelas na cor preta, rodas de 17 polegadas estilo Tulsa, com pneus 215/65 R17, interior com aplicações em prata titânio, bancos com revestimento em tecido preto, volante multifuncional revestido em couro.

ITENS DE SÉRIE Allspace 250 TSI: ar-condicionado digital Climatronic com três zonas, sistema de infotainment Discover Media (com tela sensível ao toque de 8 polegadas com sensor de aproximação, conexão Bluetooth para dois celulares simultaneamente, três entradas USB, Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink), sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, sensor de chuva, freio eletrônico de estacionamento com função Auto-Hold, Start/Stop, seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois do tipo cortina), freios ABS com EBD, controle de estabilidade e tração, detector de fadiga, indicador de pressão dos pneus, faróis de neblina com sistema cornering lights, sistema ISOFIX, entre outros.

OPCIONAL: teto solar panorâmico – R$ 4 mil

 

Vale a pena comprar?

Vamos por partes, hoje no mercado temos algumas opções de veículos com sete lugares, apesar do Tiguan também ter configuração de 5 lugares, mas nosso foco está sendo a configuração de 7 lugares.

Hoje temos o lançamento da Spin, que agora vem renovado e com 7 lugares, o modelo tem o preço mais acessível, mas não é um carro que abusa da qualidade nos materiais e nem da esportividade.

Mas se tem uma grana a mais, vale a pena conhecer o Tiguan, pois tem um motor de qualidade que vem equipado na nova linha Volkswagen que são os modelos TSI.

O modelo tem um belo desenho, materiais de qualidade e aquele bom torque turbo.

Mas também vale a pena conferir os concorrentes que não são poucos, vou falar um pouco de alguns dos seus principais:

Peugeot 5008: Apesar de ainda não ter a oportunidade de testar o modelo mas sei que também é uma concorrência forte para o Tiguan, pois o modelo abusa no design, que por sinal é o mesmo que o do 3008, que também não andamos. Mas falando sobre o 5008, o modelo tem excelente qualidade em seus materiais, o seu painel é muito bonito, posso dizer que é o mais bonito entre todos os concorrentes.

Foto: Divulgação

O motor é o já bem conhecido 1.6 THP de 165 cv e 24,5 mkgf a 1.500 rpm, com tração apenas nas rodas dianteiras (por enquanto, não haverá opção 4×4) e câmbio automático de seis marchas.

Seu tamanho é de 4,64 metros e a capacidade do porta-malas com dois, cinco e sete bancos armados varia entre 1.940, 780 e 237 litros.

Já seu preço é mais alto que o Tiguan, fica a partir de R$ 157.490 já o Tiguan parte dos R$ 124 mil.

Outro concorrente é o recém chegado Lifan X80, o SUV também tras a configuração de 7 lugares. O seu design é bastante interessante, tem um desenho bonito, com linhas retas no estilo do Tiguan e tem o porte bem robusto que quem olha até pensa que seja um grande SUV. No interior ele também faz bem, tem desenho clássico com materiais que remetem a madeira e uma considerável central multimídia de 8 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto.

Foto: Divulgação

O modelo ainda tem chave presencial, freio de estacionamento eletrônico e painel de instrumentos 100% digital.

O modelo usa motor 2.0 de 16V e 4 cilindros a gasolina com torque de 28,6 kgfm / 1.600 – 3.600 e 184 a 5.000 rpm.

Seu preço parte de R$ 129.777.

Esses são alguns de seus principais concorrentes, então agora basta ver qual está mais perto do seu orçamento e qual se enquadra em seu estilo de vida e qual forma você dirige.

Avaliações

Testamos o Jaguar E-Pace, o modelo mais barato da marca.

Publicado

em

Com o crescimento dos SUV no mercado brasileiro, cada vez mais as montadoras tem apostado nessa categoria, inclusive os premium. Pensando nessa gama crescente a Jaguar apresentou o F-Pace, novidade da marca pois se tratava do seu primeiro SUV.

Em 2018 a montadora apresentou seu segundo SUV, porém mais compacto. O modelo foi lançado sob a mesma plataforma do Range Rover Evoque porém com mudanças estruturais para melhor desempenho dinâmico, já que o Range Rover é mais focado em fora de estrada.

Apesar de que o Jaguar E-Pace é conhecido como Baby F-Type ou filhote de F-Type, ele é bem independente e traz uma identidade diferenciada, mas não chega a ser uma exclusiva, pois divide com alguns outros modelos.

O modelo tem sua frente bem imponente e um pouco parecido com a do F-Type, com os faróis e capô mais parecido com a do super esportivo da marca. Olhando pela lateral você percebe seu desenho mais cupê, fazendo um caimento na traseira, onde ele segue um pouco mais parecido com F-Pace.

Foto: Gustavo Lopes

A versão que testamos cedido pela Land Vitória, foi a R-Dynamic de 250cv. Nessa versão mais esportiva ela tem diferença das demais versões, onde ganha novo para-choque com desenho mais apimentado dando o ar de esportividade com faróis de neblina mais abaixo e uma espécie de spoiler e o farol com máscara negra e led diurno, além de contar com direcionamento do farol.

Ele conta com rodas de aro 20 escurecido, apliques pretos, nomenclatura R-Dynamic na lateral, grade e capô.

Interior

O Interior é agradável, apesar do painel ser minimalista, mas bem completo com tudo o que precisa.

Os bancos são extremamente confortáveis, apesar do estilo esportivo, conta também com ajustes eletrônicos.

O interior do E‑PACE oferece materiais de alta qualidade. A cabine envolve o motorista como um cockpit, com todos os controles e botões de fácil alcance. O E‑PACE inclui sistema de infoentretenimento Touch Pro com um monitor de 10” em estilo tablet.

Na parte traseira é um pouco difícil de entrar por se tratar de uma estrutura cupê, mas tem bom espaço para os três passageiros que vão no banco traseiro, mas dependendo da altura da pessoa pode incomodar.

Foto: Gustavo Lopes

Ao volante

O E-Pace conta com um motor super esperto, não podemos dizer que se trata de um esportivo, mas tem seu lugar. Tem boas retomadas e excelente torque. Seu câmbio é sempre de 9 marchas independentemente da versão. Pode ser feita as trocas de marchas manual, mas confesso que não é necessário pois o modelo tem ótimas trocas e na hora certa.

E-Pace usa o novo motor 2.0 turbo da família Ingenium, calibrado para duas potências: 250 cv e 300 cv, tração integral.

O que testamos é o 250 cv, seu 0 a 100 é em 7s e sua velocidade máxima é de 230 km/l. Seu consumo ficou nos 6 km/l.

O porta-malas comporta bons 577 litros, mas o tampão do porta-malas é manual, uma pena não ser eletrônico, mas em compensação é bem leve.

O modelo está disponível na concessionária Land Vitória e sendo comercializado a partir de R$ 228.200, já à versão que testamos R-Dynamic 250 cv sai no valor de R$ 256.700.

 

Continue Lendo

Avaliações

Volvo XC60 D5 pronto para domar o mercado de SUV Premium

Publicado

em

A Volvo, conhecida como a marca de automóveis mais segura do mundo, agora tem o seu melhor momento, a mesma fechou o mês de setembro sendo líder de vendas no segmento de veículos Premium vendidos no Brasil. A marca apresentou crescimento de 18,4% no mês de Setembro, sendo isso 1.990 unidades emplacas em 2018.

Pensando nesse crescimento, a Volvo apresentou o novo XC60 diesel para alguns jornalistas da região sudeste e o nós estávamos lá para conferir o modelo mais vendido da marca.

O Volvo XC60 marcou e marca até hoje a história da Volvo no Brasil, o modelo é o SUV esportivo que mais se vê pelas ruas e com isso ele vai se fortalecendo com novas versões, recentemente foi apresentado a versão hibrida e agora é apresentada a versão diesel do modelo e é sobre essa nova versão que vamos falar agora.

Foto: Gustavo Lopes

Volvo XC60 D5

O modelo é equipado com um motor 2.0 biturbo e quatro cilindros. A potência máxima é de 235 hp e 480 N.m de torque máximo, em pouca rotação, ele fica entre 1.750 e 2.250 rpm. O seu 0 a 100km/h é de 7,2 segundos e sua velocidade máxima é 220km/h.

Segurança e tecnologia

Quando se pensa em segurança logo vem à cabeça o nome Volvo, pois a marca sueca é destaque em segurança e tecnologia e se sai muito bem.

– O XC60 D5 é equipado com o City Safety, que inclui assistente de direção e entra em ação quando a frenagem automática sozinha, não seria suficiente para evitar uma colisão.

– Mitigação de Pista Oposta (Oncoming Lane Mitigation), que ajuda os motoristas a evitar colisões com veículos que se aproximem vindos da pista contrária. Esse recurso funciona ao avisar o motorista distraído que invade a faixa oposta, oferecendo suporte automático à direção e conduzindo o veículo de volta à sua própria pista, fora do caminho de qualquer outro automóvel que esteja vindo. O sistema é ativado entre 60 e 140 km/h;

– Sistema de Informação de Ponto Cego (Blind Spot Information System), que avisa ao motorista sobre a presença de veículos no seu ponto cego. O recurso inclui a função de assistência ao volante, que ajuda a evitar choques em potencial com veículos escondidos num ponto cego ao conduzir o carro de volta à sua própria pista e fora do perigo.

Ao volante

Fizemos um trajeto de 91 km saindo de Ribeirão Preto – SP com destino à Brodowisk – SP e durante esse trajeto pude observar cada detalhe e modos de condução do XC60 D5.

O modelo é rico em detalhes e acabamento, o que chama muita atenção é o seu painel, sua central multimídia é seu principal diferencial, ao invés de se posicionar na horizontal como de costume, ele fica na vertical, dando assim mais visibilidade no caso de mapeamento.

Ainda no painel tem muito couro, bem revestido em toda área, o painel de instrumentos tem boa visibilidade e digital, diferente de alguns de seus concorrentes.

Mais abaixo no console central fica seu cambio de 9 velocidades, freio de estacionamento eletrônico e sua diferente ignição que basta girar para direita para ligar e desligar.

Seus bancos são revestidos em couro, tem ajustes de altura e lombar. Sua central multimídia conta com sistema sensus connect com compatibilidade com Android Auto e Apple Car Play e sistema de antirreflexo.

Impressões ao dirigir

A melhor sensação de estabilidade e controle com o XC60 D5, durante o percurso foi com muita chuva e assim dando uma real percepção da segurança e estabilidade do SUV.

Totalmente estável nas curvas, ainda tive a possibilidade de testar os modos de condução que são fáceis de perceber as mudanças.

Falando de mudanças, as trocas de marchas são bem feitas e super suaves.

O lançamento foi da versão diesel e por se tratar de um motor diesel já se pensa em alto ruído do motor, mas não, ele é bem silencioso diferente de outros veículos a esse tipo de combustível.

Foto:Gustavo Lopes

O motor é bem esperto, é um biturbo de 2 litros com um sistema chamado de Drive-E que nada mais é que uma solução tecnológica pioneira da Volvo Cars para eliminar atraso na resposta do motor ao pisar no acelerador, conhecido como turbo lag. O que o PowerPulse faz é entregar um forte desempenho no arranque do modelo por meio de um sistema de ar comprimido. E isso muito bem posicionado nas retomadas e assim entregando um melhor desempenho ao modelo.

O XC60 D5 Momentum é vendido por R$ 275.950 e a versão D5 Inscription por R$ 289.950

 

 

 

Continue Lendo

Avaliações

Spin 2019, pronta para conquistar novos lares

Publicado

em

Com novo visual a Spin 2019 chega com vontade de conquistar novo público e isso ela vai conseguir pois seu desenho atrai novos olhares, e olhares mais jovem.

Tentando tirar a fama ruim de capivara, como era conhecido, a nova geração chega muito mais jovial com nova dianteira, nova traseira, faróis e lanternas novas e nova configuração para 7 lugares e é sobre essas mudanças que vamos falar agora.

Foto: Dayane Barreiros

A GM que antes chamava o modelo de monivan, agora passa a classificar de crossover em 4 versões, LS, LT, LTZ e Activ com preços que parte dos R$ 64.690.

O carro ficou muito mais bonito do que sua versão anterior, apesar de sempre gostar do modelo. O crossover ganhou nova dianteira, bem parecido com o Cobalt. Nessa mudança ele ganha novos faróis, mais na horizontal, uma grade mais reta onde o capô fica mais curto. Além disso ele ganha alguns cromados na grade. O para-choque também foi atualizado.

Na traseira, agora ele composto com lanterna bipartido na horizontal que é dividido na tampa do porta-malas e na coluna.

Interior

No interior as mudanças foram mais discretas, como no painel que ganhou algumas texturas e o painel de instrumentos que agora compartilha com ao do Tracker.

Foto: Dayane Barreiros

Na versão que testamos, a LTZ ele é equipado com bancos de couro na cor marrom, que compõe o painel e forros de portas. Ficou faltando o apoio de braço.

7 Lugares

Agora a Spin foi reajustada na configuração de 7 lugares, que agora fica mais fácil de utilizar.

Foto: Dayane Barreiros

Com essa mudança ele ganha sistema de corrediça para deslizar para frente e para trás, assim conseguindo controlar o espaço de quem vai na fileira do meio e para quem vai na última fileira. Ainda os bancos tem sistema de entrada curva na parte de trás dos bancos, assim as pernas fluem mais.

 

 

 

Motorização

Na mecânica, o motor é o mesmo 1.8 Eco com até 111 cavalos e 17,7 kgfm, tendo transmissão de seis marchas, manual ou automática. A Chevrolet Spin 2019 ganhou também calibração modificada em molas e amortecedores, a fim de ficar mais suave ao rodar. O monovolume vai de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos no automático e 11,3 segundos no manual.

Consumo

Seu consumo conosco durante os 7 dias que ficou em nosso QG fazendo um misto de cidade e estrada ficou em 10km/l, o que não é nada ruim comparado ao seu tamanho. Vale ressaltar que esse consumo foi utilizando os 7 lugares e sempre com o ar condicionado ligado.

Segurança

Em questão de segurança ele se sai bem, mas ao mesmo tempo ruim.

O lado bom é que conta com cinto de segurança de três pontos em todos os bancos, apoio de cabeça para todos e isofixo. O ruim é que tem apenas airBag frontal e não conta com controle de estabilidade.

Foto: Dayane Barreiros

Ao volante

O modelo é bem suave, confortável de dirigir. Tem boas retomadas nas trocas de marchas.

Seu espaço é muito bom, andei na fileira do meio, andei na última fileira e o espaço foi bom, apesar de que na última fileira fiquei um pouco apertado, por causa da minha altura, mas nada que incomodasse, mas recomendo que vá uma criança ou um adulto com média de 1,60m.

Outra novidade da Spin é versão Activ, que agora possui 7 lugares e agora perde o estepe externo e passa a ficar no interior do modelo.

A versão que testamos foi a LTZ, que custa R$ 84.094,00 mas as versões partem de R$ 64.690 à R$ 85.690,00.

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro